Daily Archives: maio 16, 2018

larjan contam

Se a prefeitura conseguir o que está tentando, e ao que tudo indica, conseguirá, como diria o linguajar popular, “vai tomar o porre”, que é a transferência para o Município da fiscalização de trânsito na Avenida Colombo. Para se ter uma ideia, a média de multas aplicadas por hora naquela perigosa e movimentada via, é de cerca de trezentas.

espaço nelson verri traz o “Show dos Famosos” ao Calil Haddad neste fim de semana

Para quem gosta de apreciar a arte da dança. Neste final de semana o Espaço Cultural Nelson Verri fará 3 apresentações no Teatro Calil Haddad, nos dias 18, 19 e 20, às 19h30. Serão cerca de 20 apresentações por dia dentro das modalidades de dança que a entidade oferece: ballet, break, dança contemporânea, jazz e street dance.
A mostra terá como tema neste ano o “Show dos Famosos” e trará coreografias de grandes sucessos, que vão desde a música clássica até o pop. Os ingressos custam R$ 15,00, já são vendidos no Espaço Cultural Nelson Verri, que fica na Rua Rio Guandu, 757, no Jardim Novo Oásis e também estarão disponíveis minutos antes do espetáculo.
A entidade, que é sem fins lucrativos, atende a mais de 1.300 crianças gratuitamente. Além da dança, também oferece aulas de taekwondo e karatê. Com 13 anos, o projeto já beneficiou mais de 10 mil crianças.

nem todos concordam com câmeras em salas de aula

Tem gente que discorda da instalação de câmeras em salas de aula achando que seria uma espécie de “invasão de privacidade” ou algo mais, tanto de alunos como de professores. Entre os contrários estão a presidente do Conselho Municipal de educação, Rita De Cássia da Cruz, a vice Priscila Guedes e a conselheira Eliane Furlin Li. O projeto deveria ser votado ontem, mas os vereadores resolveram retirá-lo por duas sessões.

quarta-feira, 16 de maio

A questão não é saber se você acredita em Deus. É se ele acredita em você. Tá bom? Que seu dia seja maravilhoso!
Bom dia!

deputado luiz Nishimori recebe ministério público federal para debater relatório sobre defensivos fitossanitários

Nesta terça-feira o deputado relator do projeto de lei que regula os defensivos fitossanitários, deputado Luiz Nishimori recebeu representantes do Ministério Público Federal para debater a proposta que pretende modernizar a legislação atual para esses produtos.
Após o encontro, ficou decidido que será criado um grupo de trabalho composto por representantes técnicos dos ministérios da Saúde, Agricultura, Pecuária e Abastecimento e do Meio Ambiente, além da Anvisa e do Ibama.
O objetivo é propor melhorias ao texto da proposta que tramita em Comissão Especial da Câmara dos Deputados. Após duas sessões, a Comissão deve retomar os trabalhos na manhã desta quarta-feira. Para o relator, deputado Luiz Nishimori, após dois anos de discussões no Congresso Nacional acerca da proposta apresentada, o debate ainda tem espaço e será garantido e será garantido com a participação de todos os órgãos envolvidos e da sociedade.
“O que nós queremos é chegar na melhor proposta para a sociedade. A lei está defasada, de quase 30 anos atrás, e os próprios órgãos envolvidos concordam com isso. Nesse tempo, o campo e o Brasil passaram por inúmeras transformações e a legislação não acompanhou isso, trazendo letargia nos processos de registro de novos produtos mais seguros e mais tecnológicos ao país”, afirmou Nishimori.
Participaram da reunião pelo Ministério Público Federal o subprocurador-geral da República e coordenador da Câmara de Meio Ambiente e Patrimônio Cultural, Nívio de Freitas, e o chefe da assessoria do órgão,José Martins Arantes.
Participaram da reunião pelo Ministério Público Federal o subprocurador-geral da República e coordenador da Câmara de Meio Ambiente e Patrimônio Cultural, Nívio de Freitas, e o chefe da assessoria do órgão, José Martins Arantes.
Para Níveo de Freitas, uma discussão da proposta ainda se faz necessária , com a participação do Ministério Público Federal e dos órgãos ambientais e de saúde, para modernizar a legislação e garantir a saúde da população. “A mudança na lei precisa acontecer, bem como a celeridade no processo. Muitas vezes, a falta de pessoal prejudicam os prazos de novos registros. No entanto, precisamos debater melhor a proposta legislativa” destacou o subprocurador na reunião.